O cabelo pode representar e influenciar a construção da identidade de um indivíduo. A sociedade atribui e muitas vezes impõe, um padrão de beleza que exclui e segrega àqueles que não seguem essas regras.

Ao longo dos tempos, as mulheres com cabelos crespos foram induzidas a alisar suas madeixas (VYYHTI = madeixa em finlandês), passando a ter um visual com o padrão estabelecido pela sociedade. Para muitos negros e negras, porém, o assumir o cabelo natural, crespo, encaracolado, black, sem intervenção de processamentos de químicas cosméticas, tornou-se uma forma de manifestar sua identidade, sua ancestralidade e sua forma de entender a estética.

Graças à tecnologia, hoje temos linhas cosméticas específicas para o cuidado do cabelo crespo. Elas são ricas em óleos naturais e substâncias hidratantes, que permitem o cuidado e manutenção, de cabelos crespos e cacheados, na sua forma natural e com uma diversidade de estilos.

Viva a identidade! Viva a diversidade!

 

Cleomara Silvão
Farmacêutica
Especialista em desenvolvimento
de produtos cosmétcos

Postado em News por

Micael Silveira